O Fundador

A Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição foi fundada em 1673, pelo Beato Estanislau Papczyński, na Polónia.

Estanislau Papczyński nasceu a 18 de Maio de 1631, em Podegrodzie, diocese de Cracóvia, na Polónia. No baptismo, deram-lhe o nome de João.

Depois de uma adolescência e juventude marcadas pela aventurada e pela dor, em que abandonou, por cerca de dois anos, a casa dos pais, João faz os seus estudos, primeiro, no Instituto das Escolas Pias, e, depois, no colégio dos Jesuítas, onde fez os estudos humanísticos, e, em 1654, conclui o curso bienal de Filosofia.

Foi, provavelmente, aos 19 anos, durante os seus estudos no Instituto dos Piaristas, que João se sentiu chamado para ser religioso nessa congregação. É a 2 de Julho de 1654, já com 23 anos, que decide entrar para o Instituto das Escolas Pias da Mãe de Deus (Piaristas), recebendo o nome de Estanislau de Jesus Maria.

Naquele tempo a Polónia tinha sido invadida pelas tropas suecas. Certo dia, o noviço Estanislau foi agredido por um soldado sueco, protestante. Quando este puxou da espada para o matar (provavelmente, só porque viu nele, pelo hábito que vestia, um representante da Igreja Católica), Estanislau apresentou-lhe o pescoço para receber o golpe fatal, na esperança de poder dar a própria vida pela verdadeira fé. O soldado deu-lhe três golpes, os quais, porém, não lhe causaram senão uma intensa dor.

Emitiu os votos na Congregação dos Piaristas a 22 de Julho de 1656.

Ainda antes de ser ordenado padre, foi professor de Retórica durante 5 anos nos colégios da sua Congregação. A 12 de Março de 1661 é ordenado sacerdote. Continua como professor de Retórica até 1669. Sobre o assunto escreve um livro intitulado Introdução à Rainha das Artes, que foi publicado, pela primeira vez, em 1663, sendo muito apreciado.

Exerceu primorosamente o ofício de pregador, conquistando depressa o renome de “Orador famoso”.

Por defender que a eleição de todos os superiores da Província polaca da Congregação dos Piaristas fosse feita pelo Capítulo Provincial, de acordo com a legislação da Igreja e por defender a fiel observância da regra nas comunidades da sua Província, entrou em conflito com os superiores, tendo sido considerado um “perturbador da Província”. As constantes e graves perseguições promovidas pelos superiores à sua pessoa, o relaxamento da observância da vida religiosa entre os Piaristas, o desejo de estabelecer a paz e a tranquilidade entre os membros divididos, por causa dele, em duas facções opostas e o impedimento imposto pelos superiores à sua actividade literária foram as principais razões que levaram o Pe. Estanislau a sair da Congregação dos Piaristas, em 1670. Mas, no acto formal da saída, o Pe. Estanislau acrescentou uma solene proclamação (Oblatio) da sua plena adesão à segunda vocação religiosa, ou seja, a de iniciar um novo Instituto religioso, o dos Clérigos Marianos da Imaculada Conceição, e de viver nele segundo o espírito dos conselhos evangélicos, até à morte.

A grande aventura e missão do Beato Estanislau de Jesus Maria Papczyński foi, sem dúvida, a fundação da Ordem dos Marianos da Imaculada Conceição.

Depois de muitas dificuldades passadas para obter a dispensa dos votos simples e do juramento de perseverança no Instituto dos Piaristas, em Setembro de 1671, veste o hábito branco em honra da Imaculada Conceição, pela qual era um apaixonado.

O P. Estanislau apresentou o seu projecto (expresso na Norma de vida) de fundação do Instituto da Imaculada Conceição a um grupo de eremitas de Korabiew, que aceitou, iniciando assim a primeira comunidade do novo instituto. A 24 de Outubro de 1673, o bispo da Diocese visitou esta comunidade, reconhecendo a Norma de vida do P. Estanislau e acrescentando-lhe uns Estatutos, dados por ele. Esta é reconhecida como a data da fundação da Congregação dos Marianos da Imaculada Conceição.

Em 1690, o Bem-aventurado Estanislau vai a Roma a fim de tratar da aprovação pontifícia do Instituto. Depois de perder a esperança de obter a aprovação com base nas próprias Constituições, decidiu escolher uma Regra já aprovada pela Santa Sé e agregar-se a uma Ordem já existente. Escolheu a Ordem da Imaculada Conceição de Santa Beatriz da Silva (portuguesa) e a Regra da mesma. A sua escolha não foi aceite por se tratar de uma Ordem feminina e por a Regra não ter sido adaptada a institutos masculinos. Regressa à Polónia.

A aprovação pontifícia é dada a 24 de Novembro de 1699, pelo Papa Inocêncio XII, ficando a Congregação dos Marianos da Imaculada Conceição sob a Regra das Dez Virtudes da Bem-aventurada Virgem Maria, com a consequente agregação à Ordem dos Franciscanos, com a tríplice missão de:

  • Defender o mistério da Imaculada Conceição (Este dogma ainda não tinha sido definido. Foi esta a primeira Congregação masculina dedicada à Imaculada Conceição);
  • Oferecer sufrágios pelas almas do Purgatório (particularmente pelos falecidos na guerra e dizimados pela peste);
  • Prestar auxílio aos párocos (particularmente na catequese do povo simples).

Pe. Estanislau foi um intrépido apóstolo da abstinência das bebidas alcoólicas e determinou que essa fosse também uma característica da sua Ordem. Além da sua dedicação às obras de misericórdia espirituais, particularmente a do socorro às almas mais necessitadas do Purgatório, foi conhecido como um homem de “máxima caridade para com os irmãos” e apelidado de “Pai dos pobres”, “Pai dos necessitados e dos órfãos”.

A 14 de Abril do mesmo ano, O Servo de Deus Estanislau e os seus companheiros, convocados em Capítulo, aceitaram a Regra das Dez Virtudes Evangélicas de Maria e declararam-se prontos a emitir os votos solenes sob a mesma Regra.

A 16 de Junho de 1701, o Venerável Estanislau faz a sua profissão perante o Núncio Francisco Pignatelli, em Varsóvia, em que promete observar a Regra das Dez Virtudes, acrescentando a cláusula: “que não contrarie o espírito do nosso Instituto”. De seguida, recebe a profissão dos seus súbitos.

Pe. Estanislau de Jesus Maria Papczyński pode finalmente exclamar: “Agora, Senhor, podeis deixar partir o vosso servo em paz...”. E assim aconteceu: Frei Estanislau morreu, com fama de santidade, a 17 de Setembro desse mesmo ano, em Góra Kalwaria, onde está sepultado, na capela da Ceia do Senhor.

Foi beatificado no dia 16 de Setembro de 2007, no santuário de Líchen, Polónia.

Buy now